Rio de Janeiro, 18 de Julho de 2019

Escândalocracia

Como se não bastasse a Justiça de Goiás apreender o livro de Fernando Morais sobre a agência de Washington Olivetto em defesa do bom nome do Doutor Caiado, o líder inconteste dos fazendeiros, que propunha a esterilização em massa para combater a pobreza.

 

 

Como se não bastasse a Justiça de Rondônia proibir a exibição de filmes que mostrem deputados estaduais pedindo propina ao governador para não aprovar o impeachment dele.

 

 

Como se não bastasse Severino não encontrar um deputado dos seus para presidir a comissão especial que analisará a emenda sobre o fim do nepotismo, ainda mais agora que aumentou a verba de gabinete para os parlamentares contratarem mais servidores. Todos que ele escolhe têm o rabo preso com parentela, quando não suingam - esposa de deputado A trabalha no gabinete de B e vice-versa.

 

 

Lula se solidariza com Jefferson, acusado de comandar esquema de corrupção nos Correios. Já o tinha acarinhado com “o tipo de homem a quem posso dar um cheque em branco e dormir tranqüilo”. Lula aprendeu com a vida a não prejulgar agora que chegou no poder. O companheiro evoluiu para a preocupação em ser parceiro e acalmar os ânimos da base aliada, facilitando a governabilidade. O PT mais autêntico na oposição que no pedestal, ao se desinteressar por CPI’s - ética não combina com em cima do muro.

 

 

Aleluia para a juíza Denise Appolinária, que tornou inelegível os Garotinhos por exercício indevido de coronelato e compra de votos em favor de Pudim, candidato ao principado de Campos. Possuído pela ira de Deus, Anthony classificou o ato da magistrada de terrorista e ordenou seu retorno imediato à faculdade. Cevados pelo poder, um casal enjoado.

 

 

Vivemos sob o regime da escandalocracia, pautado por câmeras escondidas, gravações e interceptações telefônicas que alcançam até as entranhas de partidos políticos. Cuja resposta lenta coloca em risco a democracia com o surgimento de campanha pregando voto nulo e o expurgo em massa de camarilhas que infestam o Congresso.

 

 

Não se pede aos suspeitos que cheguem ao cúmulo da decência de praticar haraquiri, mas que pelo menos se afastem. Vão procurar sua turma!

 

 

E que São Dimas os proteja!

 

 

 

 

 

Crédito:Antonio Gaio

Autor:Antonio Gaio

Fonte:Universo da Mulher